Método

São três oficinas paralelas. De acordo com o interesse e desenvolvimento do aluno, assuntos podem ser pulados, antecipados ou estendidos, e é normal que tópicos de oficinas diferentes se misturem. Podemos fazer provas para avaliar a evolução e chegar em certas “metas”.

Além das oficinas há desafios longos como o de recriar músicas e discos, como fazemos em 2016 com o repertório da banda norte-americana Dirty Projectors.

Oficina de violão

(ou guitarra)

Corpo: Postura corporal; unhas e dedos; mãos esquerda e direita; apoios; apresentação;

Mão esquerda: Independência entre os dedos; tocar abafado, trastejado e limpo; vibrato, ligados, pull-off e outras técnicas;

Mão direita: Independência entre os dedos; tocar apoiando os dedos e sem apoiar; palheta, slap e batidas: bossa nova, rock, folk, arpejos e outros; volume e dinâmica;

Instrumento: Afinação; cordas; desenho do braço (localização das notas); afinações alternativas; capotraste; microfonação; outros instrumentos.

Repertório: de escolha do aluno e do professor. 

Oficina de teoria

(não necessariamente todo o conteúdo)

1 – Notas; timbre; notas separadas em semitons; oitavas, sustenido e bemol, tom; notas no instrumento, escalas musicais, desenhos 1, 2 e 3 das escalas maiores e menores; escala relativa, pentatônica; graus musicais; diminuta, aumentada e justa; tríade; tétrade; acorde.

2 – Cifras; formação dos acordes; nomes dos acordes; escrever cifras; campo harmônico; escala cromática; improvisação; escalas relativas; modos gregos; harmonia funcional; resolução deceptiva; inversão de acordes; mudança do baixo do acorde; transposição e modulação; notas-alvo; deslocamento da oitava, cromatismo; cadências harmônicas;

3 – Ciclo das quintas e das quartas; dominantes secundários; acordes complexos; acordes supertensos; acordes disfarçados; acordes quebrados; escala menor harmônica; escala menor melódica; escala alterada; escalas simétricas e assimétricas; acorde de aproximação cromática.

4 – Acorde diminuto; escala diminuta; acorde interpolado; acorde de empréstimo modal (borrowed chords); modulação; escala hexafônica; acorde de quarto grau menor (IVm6); acorde de segundo grau maior (II7); acorde de quarto grau #IVm7(b5); improvisação com outside notes.

Oficina de criação

(oficina mais aberta às aptidões e escolhas do aluno)

1 – Programas de gravação de audio e video; interface e microfone; primeiras gravações; completar gravações com o violão; rearmonização de gravações.

2 – Divisão de tempo; principais efeitos: reverb, chorus, delay, distorção, tremolo, flanger, phaser, wah. Automação; audio reverso.

3 – Trabalhando sem o instrumento: arpeggiator, chord memorizer e “environment” do Logic (e equivalentes em outros programas). Gravação de voz; harmonia com pitch shift. 

4 – Time stretch e beats; mixagem, remixagem e retrabalhar os próprios sons. Bounces, formatos de arquivo;

5 – O estúdio; temas de arte e criação.

Advertisements